Londres tem lei para limitar altura de construções e preservar vistas da cidade

Vista da Catedral St. Paul, em Londres, cuja vista é preservada por lei

Vista da Catedral St. Paul, em Londres, cuja vista é preservada por lei

Com cerca de 8 milhões de habitantes, Londres é uma cidade que preserva sua paisagem urbana. Segundo reportagem publicada pela BBC Brasil, isso se deve às duras regras para construção na cidade, que limitam o adensamento em algumas áreas e preservam o passado. A capital da Inglaterra possui 13 vistas protegidas por lei, que impedem que a visão de determinados pontos da cidade sejam perdidas por construções altas.

Com um número relativamente pequeno de edifícios altos, a capital britânica tem um horizonte que mais lembra uma cidade pequena, conforme texto da BBC preparado para os Jogos Olímpicos de 2012.

A maioria das vistas protegidas de Londres está localizada em parques da cidade, alguns distantes vários quilômetros da área central, criando longos corredores nos quais a altura das construções é limitada.

A reportagem informa que, por essa razão, os arranha-céus de Londres estão concentrados em poucas áreas, como a City (o centro financeiro da capital britânica) ou a região de Canary Wharf, recentemente desenvolvida no leste da cidade – em pontos onde não atrapalham as paisagens protegidas por lei.

Em entrevista à BBC, o arquiteto Peter Murray, presidente da organização não governamental New London Architecture, afirma que as vistas protegidas são um reflexo do pragmatismo do planejamento urbano na cidade e também da visão dos moradores sobre sua própria cidade.

“Os projetos para construção são submetidos a consultas populares, e as pessoas com os argumentos mais fortes tendem a ganhar”, observa. “Os londrinos consideram importantes para a cidade as vistas desses locais específicos. Haveria fortes objeções da população se construíssem algo que encobrisse a vista da catedral de St. Paul, por exemplo”, disse.

A vista da catedral de St. Paul, aliás, é objeto de 8 das 13 vistas tombadas de Londres – a partir do Alexandra Park, no norte da cidade, de Parliament Hill e de Kenwood House, ambos no parque Hampstead Heath, também no norte, de Primrose Hill, ao lado do Regent’s Park, em uma área mais central, de Greenwich Park e de Blackheat Point, no sudeste, de um ponto do Richmond Park, ao sudoeste, e do píer de Westminster, no centro.

Além dessas, também são protegidas por lei as vistas do Palácio de Westminster (sede do Parlamento britânico) a partir de dois pontos distintos de Parliament Hil, do topo de Primrose Hill e do centro da ponte sobre o lago Serpentine, entre os parques Kensington Gardens e Hyde Park, no centro. A última vista protegida é a que se tem do passeio público Queen’s Walk, em frente à sede da prefeitura, no leste da cidade, à Torre de Londres, na outra margem do rio Tâmisa.

A preocupação com a preservação das vistas de marcos da cidade também leva a soluções arquitetônicas que ajudam a manter a visão desobstruída.

Este é o caso do edifício Leadenhall Building, de 47 andares, em construção na área da City. Conhecido popularmente como “Ralador de Queijo”, por sua forma, o prédio vai “afinando” de um dos lados, afastando-se mais da rua nos andares mais altos, permitindo que a vista da catedral de St. Paul a partir da rua Fleet permaneça inalterada (ainda que o edifício fique atrás da catedral visto a partir da rua Fleet, não entre os dois pontos).

Tags: , ,

%d blogueiros gostam disto: