Ferran Ferrer Viana: sobre urbanização e mudanças possíveis

A transformação de Barcelona foi o tema da palestra do mestre em urbanismo Ferran Ferrer Viana, no 1º Congresso Internacional de Paisagem Urbana.

“Uma cidade cinza, sem brilho e mergulhada em uma profunda melancolia”, assim Ferran Viana definiu a Barcelona do meio da década de 1980, antes da cidade passar pela profunda transformação que a elevou a categoria de referência para o urbanismo mundial.

Ex-gerente do instituto municipal de Paisagem Urbana e Qualidade de Vida de Barcelona, Viana foi o responsável pela campanha “Barcelona posa’t guapa”, que transformou a cidade para as Olimpíadas de 1992.
Destacamos alguns trechos da entrevista que ele deu a Edison Viana, do jornal O Estado de São Paulo.

“A campanha foi criada há 30 anos, com base nos esforços coletivos de cidadãos, empresas, mídia, associações civis, etc, mas se o “bonito” do seu slogan foi mantido até hoje é porque Barcelona continua a ser uma cidade cívica, plural e verdadeiramente harmoniosa, e, também, soube conviver com todos os inconvenientes que a massificação turística traz consigo. Graças aos jogos Olímpicos, Barcelona consolidou uma marca própria, da qual não dispunha anteriormente. Hoje, Barcelona é uma marca global com grande capacidade de sedução. Os 7,5 milhões de turistas que visitaram a cidade durante o último ano são a maior prova disso. Mas a cidade não é apenas um destino turístico de ordem mundial. Barcelona é também reconhecida como um local dinâmico e vibrante, inovador e criativo. Muito embora a percepção superficial ainda se concentre no patrimônio arquitetônico de Gaudí, felizmente recuperado, e no futebol do Barcelona”, enfatiza Ferran.

Na recuperação da cidade a parceria com a iniciativa privada foi fundamental. “Empresas passaram a ganhar isenção fiscal para patrocinar reformas que pudessem embelezar a cidade. Entre as ações feitas estão desde a reforma de prédios de grande valor arquitetônico e a construção de espaços para recreação infantil em parques municipais”.

Viana contabiliza que em cerca de 30 anos de campanha, foram realizadas 52 mil ações de melhoria de locais que transformaram 40% da área habitada de Barcelona. “Essas ações foram responsáveis para que o patrimônio arquitetônico tenha se convertido no principal ativo da cidade para turistas”, comenta.

Ferran Viana acredita que São Paulo, depois da Lei Cidade Limpa, que regulou a publicidade no espaço público, deve aproveitar os recursos do setor para o embelezamento da paisagem.

Após a remoção da publicidade anárquica e ilegal, deve-se abrir a porta a uma publicidade que possa ser ordenada e regulada para garantir que seus benefícios acumulados financiem ações de melhoria direta da paisagem. Tem-se que perder o temor pela publicidade para que ela possa ser um elemento positivo na recuperação da paisagem urbana, enquanto geradora de recursos”, completa Ferran Viana.

 

Tags:

%d blogueiros gostam disto: